segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Meditações de 16 a 30 de novembro de 2014

Meditações de 16 a 30 de novembro de 2014
16 de Novembro
         Todas temos reações emocionais forte em relação a palavras como alcoolismo, incesto, violência e vício, e às vezes não conseguimos olhar realisticamente para nossa própria vida porque estamos muito amedrontadas com a possibilidade de ver esses rótulos aplicados a nós ou às pessoas que amamos. Lamentavelmente nossa incapacidade de usar as palavras quando elas são pertinentes muita vezes nos impede de busca ajuda adequada.

17 de Novembro
         Obstinação significa acreditar que somente você tem as respostas. Deixar de lado a obstinação significa estar disposta a manter-se firme, ser aberta e esperar por orientação.

18 de Novembro
         Quando amamos demais, todo encontro sexual carrega nosso empenho de mudar esse homem. Cada beijo e cada toque servem para mostrar a ele como o achamos especial e valioso, quanto é admirado e querido. Temos certeza de que uma vez que ele esteja convencido do nosso amor, se transformará em que realmente é, despertando a personificação de tudo que desejamos e precisamos que seja.

19 de Novembro
         Atrás de todos os nossos esforços para mudar o outro está basicamente um motivo egoísta, uma crença de que por meio da mudança dele ficaremos felizes. Não há nada errado em querer ser feliz, mas situar a fonte essa felicidade fora de nós mesmas, nas mãos de outra pessoa, significa que estamos rejeitando nossa habilidade de mudar nossa própria vida para melhor e recusando-nos assumir a responsabilidade ao agir dessa maneira.

20 de novembro.
         O que manifestamos em nossa vida é um reflexo do que se encontra no fundo do nosso ser: as crenças a respeito de nosso valor, nosso direito à felicidade, o que merecemos da vida. Quando essas crenças mudam, muda também nossa vida.

21 de novembro.
         Reconheça o que é a realidade e permita que ela seja como é, sem precisar mudá-la. É aí que se encontra uma felicidade resultante não da manipulação de pessoas ou condições exteriores, mas do desenvolvimento da paz interior, mesmo diante dos desafios e dificuldades.

22 de Novembro
         Não existem enganos na vida, somente lições; então aprenda um pouco do que a vida quer lhe ensinar.

23 de novembro
         Quando deixa de culpar os outros e assume a responsabilidade pelas próprias escolhas, você se torna livre para adotar todo tipo de opções que não estavam disponíveis quando você se achava vítima dos outros. Isso a prepara para começar a mudar aquelas coisas na vida que ou não são boas para você, ou já não lhe satisfazem ou interessam mais — para deixar de lado o que você superou e se aventurar por novos caminhos e projetos.

24 de novembro
         É comum que as pessoas com dependência se unam a outras como elas. E então cada uma tenta controlar o problema da outra.

25 de novembro
         Faça, por dia duas coisas que não queira fazer, a fim de se expandir e ampliar a idéia sobre quem você é e o que é capaz de fazer.

26 de Novembro
         Tanto o alcoolismo quanto o amor excessivo são doenças sutis em seus estágios iniciais. Quando se torna óbvio que alguma coisa muito destrutiva está acontecendo, a tentação é observar e tratar as manifestações físicas – fígado ou pâncreas do alcoólatra ou nervos ou a pressão alta de uma mulher dependente de relacionamento- sem avaliar com exatidão o quadro na totalidade. É vital encarar esses 'sintomas' no contexto global da doença que os criaram e reconhecer a existência delas o mais cedo possível para interromper a destruição contínua da saúde emocional e física.

27 de Novembro
         Aprenda a se dar coisas. Dê-se tempo, dê-se atenção. Precisamos aprender que nós mesmas podemos ser fontes de coisas boas para nossa vida.

28 de Novembro
         Se você evita gastar tempo e dinheiro na própria recuperação porque lhe parece um desperdício, considere quanto tempo e dinheiro gatou tentando evitar o sofrimento causado ou pelo o envolvimento numa relação infeliz, ou pelo fim dessa relação. Beber, usar drogas, comer demais, fazer viagens para fugir de tudo, repor coisas (suas ou dele) que foram quebradas em ataques de fúria, faltar ao trabalho, fazer ligações interurbanas caríssimas para falar com ele ou com alguém que você espera que entenda os seus problemas, comprar presente para ele para fazer as pazes, comprar presente para você mesma para ajudar a esquecer, passar dias e noite chorando por ele, negligenciar sua saúde a ponto de ficar seriamente doente – a lista das maneiras que gastou tempo e dinheiro por amar demais é provavelmente longa o bastante para lhe causar desconforto ao olhar para ela com honestidade. A recuperação requer que você esteja disposta a investir pelo menos a mesma quantia para melhorar. E como um investimento, é garantido que receba agradáveis dividendos.

29 de Novembro
         Alcançamos uma auto percepção a partir daquilo que fazemos por nós mesma e da maneira como desenvolvemos nossas próprias capacidades. Se todos os seus esforços forem usados para ajudar os outros a se desenvolver, você fatalmente se sentirá vazia. Comece a nutrir e desenvolver suas capacidades agora.

30 de Novembro
         Desenvolver a espiritualidade significa basicamente abrir mão da obstinação, da determinação de fazer com que as coisas aconteçam do jeito que você acha que deveria acontecer. Em vez disso, você deve aceitar o fato de que talvez não saiba o que é melhor em certas situações, seja para você, seja para outra pessoa.

Fonte :  livro MEDITAÇÕES DIÁRIAS PARA MULHERES QUE AMAM DEMAIS -     Robin Norwood


Nenhum comentário:

Postar um comentário