terça-feira, 1 de julho de 2014

meditações julho 1 a 15

Meditações de 1º Julho a 15 de julho de 2014

1 de Julho
         A medida que nos recuperamos, aquilo que um dia nos pareceu normal e familiar começa a parecer incômodo e doentio.

2 de Julho
         Os ressentimentos são como Frankenstein, ganham vida própria a menos que nos esforcemos para nos livrar deles.
         Se não tomar cuidado, você descobrirá que possui um ressentimento de estimação que exige cuidado e alimentação diária.

3 de Julho
         Se contarmos a nós mesmas muitas vezes a história de nosso suplício, acabaremos por ter que contá-la também a praticamente todo mundo.

4 de Julho
         Na vida, não recebemos mais desejando menos aos outros.

5 de Julho
         Nada em um relacionamento acontece por acaso ou em vão. Aquele homem é exatamente quem era quando você encontrou e decidiu ficar com ele. Nós que amamos demais podemos ficar intrigadas e atraídas pelas mesmas qualidades que tentamos mudar em um homem.

6 de Julho
         Recuse-se a se considerar uma vítima em um relacionamento. Reconheça que você participou inteiramente do jogo.

7 de Julho
         Com um parceiro difícil, esteja disposta a prestar atenção apenas em quais são os seus passos na dança.

8 de Julho
         Admitir que não há acidentes num relacionamento e que não somos vítimas nos força a crescer e a encarar nosso lado sombrio.

9 de julho
         A verdadeira recuperação ocorre quando desistimos de enxergar o problema fora de nós e dentro de outra pessoa.

10 de Julho
         Para superar o ressentimento, abençoe a outra pessoa e reze para o bem dela.

11 de Julho
         Quando sentimos inveja, somos surpreendidas pela crença equivocada de que não há coisas boas suficientes para todos no mundo.

12 de Julho
         Recebemos o que damos — então dê bênçãos!

13 de Julho
         Cada um de nós, homens e mulheres, faria bem em entender melhor a si mesmo. Provavelmente jamais nos tornaremos especialistas uns nos outros.

14 de Julho
         Qualquer tipo de comportamento entre seres humanos que não seja honesto, aberto e atencioso tem suas raízes no medo.

15 de Julho

         Os homens geralmente têm um grande medo de se sentirem sufocados, ao passo que as mulheres tendem, a ter um medo enorme de serem abandonadas.


do livro MEDITAÇÕES DIÁRIAS PARA MULHERES QUE AMAM DEMAIS
 Robin Norwood

3 comentários:

  1. Visito pela primeira vez o blog do MADA e muito já me ajudou na identificação como mada sou mesmo uma mada, acho que desde de que nasci pois me sinto carente desde de sempre. Estou lutando para sair de um situação de carência emocional e tenho certeza que vou conseguir, pois já tenho mais de 25 dias que não tento ligar para ele e as orientações que o MADA dá está me ajudando a recuperar meu valor próprio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou descobrindo o mada esta semana que tbm foi uma semana muito difícil para mim pois perdi a pessoa que eu amo por conta de meus ciúmes que só agora eu entendi que é uma doença e preciso de ajuda...

      Excluir
  2. Estou perdendo minha família por conta das minhas loucuras preciso de ajuda..

    ResponderExcluir